Olá, meu blog novo!

Estou muito feliz por iniciar uma parceria contigo. Você tá aqui, novinho, acabou de nascer, mas eu já sou um pouco velho nas plataformas on-line.

Deixa eu te contar um pouco dessa história para que a gente possa fazer um combinado.

Meu primeiro espaço na internet foi um blog que criei em 2003. O nome dele era “Você entendeu, Gui!”, um trocadilho bobo, piada interna com uma amiga, resultado de tantas perguntas idiotas que fazia, me fingindo de bobo.

Nossa, eu adorava aquele blog! Escrevia uns textos imensos, a maioria sobre minha vida pessoal – como se acontecesse muita coisa interessante naquela época! Hahaha – mas também alguns pensamentos bem interessantes que adoraria reler.

O saudosismo não é só por conta do conteúdo. O mais legal de lembrar daquele espaço é que eu tinha um compromisso: todos os dias chegava da faculdade e alimentava com algum texto. Exceto, é claro, quando estava chateado e preferia ficar longe do computador. Aliás, é algo que eu deveria fazer sempre.

Pois é, novo blog, eu e os meus bodes!

Acontece que foi num desses dias de chateação que, de repente, deletei meu primeiro blog, sem um pingo de dor na consciência.

Perdi tudo, todos os textos legais que eu amaria reler e não terei mais a chance.

Claro que o arrependimento bateu e, depois de um tempo, fiz outro.

E, adivinha só? Teve o mesmo final!

E digo mais: o mesmíssimo final de todos os outros que vieram depois. Alguns continuam disponíveis pela web, mas ou já não lembro mais a senha de acesso ou o tema já perdeu a graça.

Esse sou eu, o cara que enjoa das coisas em 5 minutos, mas depois se arrepende.

Como não bastava ser assassino de blogs (e fotologs, shame on me), depois que comecei a publicar meus livros e contos, os pobrezinhos sofreram do mesmo problema. Se me dedicasse a escrevê-los em um mau dia, odiava e jogava tudo no lixo. Sem volta.

Me tornei um Rei Shariar dos meus textos, tamanho o desapego mortífero a eles.

E, claro, isso não está certo!

Sei que nem todas as ideias são aproveitáveis e que nem tudo o que eu tocar vai virar ouro. Mas entre Rei Shariar e Rei Midas, fico sem a coroa mesmo, desde que eu saiba dar o devido valor ao que produzo.

Já me fiz essa promessa milhares de vezes: nunca chegar perto da minha obra sem estar contente. Nunca consegui cumprir e percebi que eu nem preciso disso. Posso até chegar perto, só preciso contar até 10 antes de uma decisão precipitada.

Então, novo blog, não prometo que eu sempre vá te encontrar bem. Mas prometo que não vou deixar a tristeza sempre tomar as decisões no meu lugar. Prometo cuidar bem de você, tá bom?

Seja bem-vindo, novo blog!

Sejam bem-vindos, novos leitores!

Publicado por

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s