#apelidosbooktour

Olá, pessoal!

Estão abertas as inscrições para participar da booktour do meu livro, Apelidos carinhosos.

Para quem nunca participou de uma booktour, é simples assim:

  1. Você recebe o livro na sua casa,
  2. Faz a leitura,
  3. Posta uma resenha no Skoob, instagram ou blog e
  4. Envia o livro para a próxima pessoa da lista realizar o mesmo processo.

E as regras para participar:

1. Morar no Brasil;
2. Ter um perfil no Skoob para adicionar a leitura;
3. Custear as despesas de envio do livro para o próximo participante (o envio de impresso custa menos de 10 reais, fiquem tranquilos!).
4. Enviar o livro no prazo combinado com o próximo leitor.
5. Postar uma resenha ou opinião sobre o livro, preferencialmente no Skoob. A resenha pode ser postada em blog ou instagram também, mas é preciso marcar a leitura do livro no Skoob de qualquer forma, ok?

E então, quer participar?
Basta me enviar um e-mail (guiaugoli@gmail.com) ou direct no instagram (@guilhermeoliescritor) com seus dados para envio do livro. Assim, faremos a montagem do calendário de leituras, de modo que você receba e envie o livro para alguém de um estado próximo ao seu, combinado?

Muito obrigado!

Uma volta a mais

Quando tudo o que é possível dá errado no meu dia, me recuso a descer do ônibus e entrar em casa com aquela energia péssima. Permaneço sentado e dou uma volta a mais com o ônibus.

É como se eu voltasse no tempo e apagasse todas as coisas ruins daquele dia.

Enquanto revejo as casas, comércios e outros estabelecimentos no escuro, sinto que restaurei o dia. Já não estão passando por ali as pessoas apressadas e barulhentas que se esbarram e gritam umas com as outras.

Passo novamente pelo prédio onde trabalho e dá para ver que o escritório está vazio, as luzes apagadas, como se aquela loucura toda de prazos, metas e competências nunca tivesse existido ali.

Com quase duas horas de atraso, finalmente desço e sou recebido pelo meu amor que, com toda preocupação do mundo, me pergunta se estou bem. Pois é, as reclamações que fiz por mensagens mais cedo não devem ter sido nada legais de se receber.

Enfim, com sinceridade digo que sim, está tudo bem. E o que restou daquele dia terrível se diluiu naquela volta a mais que dei.

Agora tudo estava calmo, dentro e fora.

De mim. Do ônibus. Da nossa casa.

Podemos dormir em paz.

Desistir? Não

Fácil, não é. Nunca foi, nunca vai ser. E ninguém disse que seria mesmo.
Motivos pra desistir todos os dias aparecem. Uns mais convincentes, outros mais temperados de drama e carência. Sim, acontece!
Mas eu sigo acreditando, apostando e, por mais clichê que seja, colocando amor em cada ação e projeto que desenvolvo.
Este aqui, em especial, tem demais. Porque nunca desisti dele. Desde quando era um projeto de filme, que virou conto, que se diluiu em várias histórias e que, desde o ano passado, virou meu livro. Tão querido e tão sonhado.
Não sei ainda onde tudo isso vai dar, mas tenho orgulho demais de tudo que estou vivendo com o Apelidos. E já que tem tanto amor e orgulho nessa receita, sigamos juntos.
Obrigado a cada um de vocês que acredita em mim. Devo isso a vocês também.
E é por mim, pelo livro e por vocês que eu não desisto.